Buscar
  • Aletheia Westermann

Obra sustentável é possível?

Não é mais possível pensar em construção sem levar em conta a sustentabilidade. Afinal, a indústria da construção civil é responsável, sozinha, pelo consumo de cerca de 75% dos recursos naturais do planeta, como areia, brita, pedras, ferro e outros materiais finitos que são extraídos em enormes quantidades para suprir o mercado.

No entanto, os insumos deste setor não são os únicos fatores de preocupação quando se trata de meio ambiente. A grande quantidade de resíduos gerados nos canteiros de obra é algo preocupante, seja durante as obras ou em demolições e remodelações. Juntos, podem representar entre 50% e 70% da massa dos resíduos sólidos urbanos. Por isso, é tão importante que lhes sejam dados destinos adequados em caçambas regularizadas para que sejam despejados em locais determinados pelo poder público.

Mas, se no lugar de terminarem entulhados em algum depósito público esses materiais pudessem ser reciclados? Desta maneira, poderiam substituir outros que seriam extraídos de jazidas, transformando-se em matéria-prima para novos componentes de construção, de qualidade geralmente comparável aos materiais tradicionais.

A esta altura do texto você pode estar se perguntando quais materiais são fáceis de reciclar em uma construção. Preparamos uma lista abaixo:


Aço

O aço, metal de liga de ferro e carbono é protagonista em pelo menos nove de cada dez projetos. O material é considerado um dos mais reciclados e recicláveis do planeta, com destaque à uma característica bastante notável e peculiar: é capaz de se transformar em um novo aço sem que, para isso, perca suas qualidades originais. Não bastasse, ainda pode ser 100% reaproveitado, é extremamente durável e um dos produtos mais versáteis e usados pela construção civil.


Concreto

Em vez do descarte do lastro e da sobra, sugere-se a reciclagem desse material, já que praticamente todos os tipos de concreto podem ser reciclados, como o endurecido e o fresco. Como exceção estão os concretos especiais, como o pigmentado e o que recebe adições de fibras. Além das vantagens ambientais, a reciclagem traz benefícios econômicos com a redução nos custos de produção advindos da economia de matéria-prima de retirada e disposição de resíduos.


Madeira

A melhor solução para sobras de madeira da construção civil é reaproveitá-las, evitando, assim, que toneladas de resíduos sejam enviados para aos aterros após o término das obras. Sendo a madeira um resíduo de natureza orgânica, ela entrará em processo de apodrecimento e será um problema ambiental por alguns anos até desaparecer completamente.

Além disso, aproveitar madeiras de demolição nas construções ou na arquitetura de interior confere exclusividade ao projeto, que pode ser adaptado de acordo com as preferências do cliente.


Gesso

O processo de reciclagem de gesso começa com a separação dos resíduos que não foram utilizados ou que serão descartados nos canteiros de obras. O gesso deve ser separado dos outros materiais como madeiras, metais, papéis e armazenado em caixas com piso concretado ou em caçambas. Em ambos os locais, o material deve ser coberto e protegido de qualquer contato com água ou umidade.

A seleção deste material deve ser realizada nas Áreas de Transbordo e Triagem (ATTs), presente apenas em cidades mais populosas. A reciclagem de gesso na construção civil é uma ação relativamente recente, mas compatível com as exigências de sustentabilidade das atividades econômicas e de alta viabilidade, principalmente pela indústria cimenteira.


EPS

Usado como matéria-prima em diversas soluções da construção civil, o poliestireno expandido (EPS) é 100% reaproveitável. Conhecido popularmente como isopor, o composto pode ser classificado como sustentável por diversos fatores, desde que, é claro, seja devidamente encaminhado aos centros de reciclagem.

Produto derivado do petróleo, o isopor não é biodegradável, mas é inerte e não contamina o ar, a água ou o solo. Porém, sua reciclagem ainda não acontece com frequência devido à tecnologia ser considerada relativamente nova e as construções que a utilizam serem recentes.


Vidro

O vidro pode ser reciclado várias vezes, pois é feito de minerais como areia, barrilha, calcário e feldspato. Ao se agregar o caco na etapa de fusão de vidro, diminui-se a retirada de matéria-prima da natureza.

Entende-se como reciclagem de vidro o processo industrial de derretimento de resíduos de vidro para a fabricação de novos produtos. Em média, as garrafas de vidro são compostas em cerca de 60% de vidro reciclado. Dependendo da cor, esse percentual ainda pode chegar a 90%. Dessa forma, resíduos de vidro são uma importante fonte de matéria prima para a fabricação de novas embalagens de vidro.


O papel do arquiteto

Recentemente os debates acerca da reciclagem de resíduos sólidos da construção civil vêm ganhando força. A geração de Resíduos da Construção Civil – RCC pode alcançar patamares astronômicos, tanto em peso como em volume. Ainda que boa parte desse montante tenha destinação final inadequada, é papel não só do arquiteto como também do cliente pensar em soluções que gerem menos impacto para o meio ambiente quando se propõem a construir ou reformar um espaço.



1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo